22 julho 2017

domingo a mata atlântica toda refestelada em inverno
os trópicos esse ano deram uma trégua
na contramão da minha memória
ping-pong
uma cortada lateral
a bola fora da mesa
eu fora da foto
você, naquela praia que um dia sonhamos
veranear na velhice
mas beibe, acabaram com a tão sonhada aposentaria
meu desejo – que outrora era queijo
y gozo
já se configura em raízes líquens que teimaram em surgir
na brevidade dos meus pés
a cartografia dessa planta
- tatuada nas minhas costas -
já se passaram 6 meses
o bebê nasce em novembro
“é escorpiano!” – dizem os oráculos
eu (de)fumo sálvia sobre o meu ventre
anoto as coordenadas
latitude oposta ao teu coração
nos afastamos pouco a pouco
nossos olhares cruzados na BR101
fazem menos sentido
que a promoção de avocados na feirinha de sábado
matar uma lembrança
organizar os potes de plástico
riscar uma linha no horizonte
uma linha vermelha
o ponto fora da curva
que esse final exige

Nenhum comentário: